Domingo de Pascóa, e a rua do lazer… (?)

Um dos nossos seguidores e apoiadores do movimento contra a fábrica de múltas instalada em Joinville, constatou que a promessa de fechar a rua Hermann Lepper foi quebrada.

Em pleno domingo de páscoa, a rua permaneceu aberta para o tráfego de veículos, não permitindo assim a sua utilização para a finalidade de lazer, a qual se propõe, conforme vemos nas informações da placa.
Sem contar que a placa encontra-se em local tomado pelo mato, dando total aspecto de abandono.
Os responsáveis por fechar a rua não apareceram. Qual será a desculpa desta vez, já que está se tornando uma constante em nosso dia a dia, essa total falta de respeito e consideração?

Faltou constar nessa placa: -“Divirta-se, a rua é sua (quando a gente quiser).
Não devemos permitir que atitudes assim continuem.
Verdadeiro descaso ao cidadão, que paga seus impostos.

Anúncios

2 thoughts on “Domingo de Pascóa, e a rua do lazer… (?)

  1. A cidade está abandonada, nunca, em 31 anos morando aqui, vi Joinville tão desolada e jogada as traças. Ruas esburacadas, mato tomando conta. A avenida Santos Dumont mais parece estrada de chão. Creio que se fosse de chão batido não teria tantos buracos. Nossa cidade está uma vergonha!

  2. Pelo fato de a placa estar no meio do mato é simplesmente o que aconteceria com ela em qualquer lugar que fosse instalada na cidade, pois Joinville está no meio do mato messsmo, não existe um orgão para efetuar a limpeza, isso sem entrar em detalhes do mato que invade e toma conta das beiradas das ruas asfaltadas por esta administração e que não contemplam calçadas para os “pobres” pedrestes poderem circular.
    E falando em placa, na rua Hermann Lepper, percebi que em quase todos a sua extenção, existem banners pendurados nos postes indicando e propagando este “evento”. Foi solicitado autorização a Conurb para instalação tanto das placas quanto para os banners neste local público? Pergunto, porque para todo e qualquer estabelecimento comercial de Joinville ou até mesmo para divulgação de um evento que gera impostos para o município, é OBRIGADO a encaminhar uma série de documentos e autorizações para instalação ou até mesmo divulgação de seu estabelecimento ou evento junto a Conurb e são cobradas taxas, dependendo do material e também pagamento para a fiscalização da Conurb dar seu parecer, isso quando não depende de interpretação de seus fiscais, ora dizendo que pode, ora dizendo que não pode, causando transtornos e idas e vindas dos envolvidos em visitas a Conurb provocando demoras sem justificativas.
    Fica a pergunta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s